Agora que as inscrições para o Enem 2014 estão abertas (12 a 23 de maio), vamos falar um pouco de vestibular? No meio e fim do ano estamos todos acostumados a fazer ou ouvir amigos falando de testes para o início do período mais importante na vida de um vestibulando: a faculdade. Você que está no terceiro ano do ensino médio já começou o ano com o peso nas costas, não é mesmo? Ou você que já terminou e estuda em casa ou faz cursinho, independente da sua procura, que seja uma universidade pública ou particular. Acredite, nós entendemos o sofrimento!

E é exatamente por entendermos que hoje esse post vai falar sobre livros que podem ou poderão cair no seu vestibular, que tal começar agora? São leituras ótimas e que já experimentei, falo por experiência de uma prova para uma universidade pública que fiz e precisei dos exemplares. Como muitos já sabem, as obras características de vestibulares geralmente trazem uma história por trás da estória. Os livros abaixo fazem um enredo (ou no caso de Liberdade, Liberdade um teatro) que falam sobre pontos históricos da história geral do Brasil.


A primeira paixão de Valdo foi a leitura. A leitura o aproximou de Geninho. E Geninho o apresentou ao comunismo. A ideia de que a desigualdade fosse uma injustiça e de que houvesse pessoas lutando pelo fim da opressão social mudou a vida do garoto. Decidido a entrar para o Partido Comunista, Valdo abre as porteiras da estância e cai no mundo. Levando poucos pertences e quase nenhum dinheiro, embarca clandestinamente num trem com destino ao Rio de Janeiro. Na Cidade Maravilhosa, acredita, o lendário líder do Partido, Astrojildo Pereira, haverá de recebê-lo de braços abertos para conduzi-lo em pessoa às fileiras da militância, onde finalmente sua vida ganhará sentido. Mas Astrojildo não está no Rio. Foi a Moscou, sem data para voltar. E Valdo não tem dinheiro. Em vez de lutar para libertar a classe oprimida, torna-se ele próprio um assalariado, operário da construção.


Eu vos abraço, Milhões, como eu disse anteriormente, abrange muito a história do nosso país. Porém, Moacyr fez com que estudar isso no livro fosse um jeito prático e legal de aprender. Temos na obra trechos sobre Getúlio Vargas, a crise de 1929, anarquismo e até um pouquinho de Hitler. Mas o assunto principal do livro, já dito na sinopse acima, é o comunismo e a Revolução de 1930.





Esta palavra mágica que muitas vezes significou um sonho e pela qual homens e mulheres sacrificaram suas vidas. 
Montada em plena ditadura militar, em 1965, 'Liberdade, liberdade', no pouco tempo em que foi encenada, tornou-se imediatamente um dos maiores sucessos de público da época, sendo proibida pela censura poucos meses após a estreia. A montagem original tinha direção de Flávio Rangel e era interpretada por Paulo Autran, Oduvaldo Vianna Filho, Nara Leão e Tereza Rachel. A peça lançou no Brasil a ideia de um espetáculo teatral baseado na seleção de textos históricos importantes.




Para quem é apaixonado em história como eu, vai se encantar por Liberdade, Liberdade. Um livro incrível e de crua história do Brasil, mas infelizmente é um livro muito pequeno e complexo, ou seja, é preciso saber o mínimo para entender a obra, por isso indico ler e estudar cada frase. Parece meio entediante, mas não é, sabe a nossa querida Anne Frank? Ela aparece em Liberdade, Liberdade. Assim como vários outros célebres espalhados pelo muito inteiro. Porém, o ponto chave é a Ditadura, e como todos já devem saber está, nesse ano, fazendo 50 anos do Regime Militar no Brasil. Que tal uma olhadinha? É certeza que pelo menos uma ou duas questões serão sobre ela.





José J. Veiga investiga a condição humana, na qual a solidariedade sofre com a perversidade e a indiferença ou com os preconceitos e o egoísmo e até mesmo com a passividade. Habilmente consegue dar a sua narrativa uma dimensão machadiana, desde a estrutura, linguagem, análise de reações, reflexão critica explicita e explicita até o desenvolvimento da impiedade humana, ao mesmo tempo em que acentua um tanto caricaturescamente o distanciamento entre ilusão e realidade prática.





J. J. Veiga foi um escritor goiano, por isso o livro não é tão conhecido, apenas pelos arredores. Posso dizer que é um livro incrível, de certa forma, apaixonante. Sempre fui fã de contos, e a fantasia de Veiga é algo intrigante, falo porque não é o que estamos acostumados a ver. Mas só lendo mesmo para entender. Espero que tenham gostado das dicas!

6 Comentários

  1. Eu vos abraço, milhões é uma obra pra se ter na estante pra vida toda, claro, lida e relida várias vezes. Uma verdadeira arte literária. Parabéns pelo post, amor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo, esse vai ser um dos meus livros "para sempre", apesar de que quase todos que tenho são ); Obrigada, bem.

      Excluir
  2. Eu vou prestar vestibular esse ano e já me inscrevi para o Enem.
    Não conhecia nenhuma das obras, mas gostei muito do livro do Scliar. Já corri para adicioná-lo no Skoob.

    Minhas Impressões

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E dentre os três, ele é realmente o melhor. Boa leitura e boa sorte no vestibular, Maria!

      Excluir
  3. Farei vestibular esse ano e já me inscrevi no ENEM o/ Gostei de saber que tem uns livros que posso ler e estudar ao mesmo tempo.
    Beijos
    http://interessantedeler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nesse Enem indico principalmente Liberdade, Liberdade. Foi um teatro de 1965, ainda nos anos do Regime militar, e creio que o Enem vai abordar muito esse tema. O livro traz uma crítica gigantesca, dá uma olhada nele mesmo.

      Excluir